Pages

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Sobre decepção, falta de amor próprio e outras coisas...


Sempre sofro pelo mesmo motivo: decepção! Ultimamente posso dizer que estou me decepcionando com pessoas que jamais pensei (isso não vem ao caso agora). Além disso, tenho o péssimo costume de me dedicar cegamente à quem gosto. Achei que tinha aprendido com tantos erros a não querer uma vida vazia, que isso foi demais pra mim... mas continuo insistindo. Achava que teria que me jogar em vez de cair e para dar tudo certo era questão de paciência. Estava errada!


http://sp7.fotolog.com/photo/39/39/73/marceladilorenzo/1289260811394_f.jpg





 Como disse em outro post, não adianta lutar sozinha. No fim, independente dos esforços vai acontecer a mesma coisa: só você vai se importar e sentirá que foi em vão. Acredito muito nos sentimentos, mas quando são sinceros. Logo se é sincero, é importante e vira uma prioridade. Ficando sempre como segunda opção do dia, alguma coisa está errada, não? A partir do momento que você é sempre a segunda alternativa, começa a soar como desinteresse. Isso magoa e para o desinteresse se transformar em indiferença é um pulo. Como dizem o oposto do amor não é o ódio e sim a indiferença.
Mas acho que isso tem a ver com amor próprio! Quando você dedica mais ao outro do que a você deixa a lacunas pra isso acontecer. O único lugar que o dois vem antes do um é no dicionário. Comigo não é de outra forma, esse tipo de situação só ocorre porque me esqueço de mim e dedico demais ao outro, criando muitas expectativas. A única forma de não se decepcionar com as pessoas é não esperar nada delas. Sem expectativas e mais amor próprio!



http://1.bp.blogspot.com/_h83-bS-WGyY/TORSJPQIyDI/AAAAAAAABvA/6DLgGplWmew/s1600/saude-os-7-pilares-da-autoestima-amor-proprio-460x270.jpg



“Ame a si mesmo”, Buda disse. Só assim é possível ser plenamente feliz.
Alguém que não ama a si próprio é incapaz de enxergar qualidades e talentos, por isso se sente inferior e seu amor será sempre coberto por medo. Segundo a jornalista Elisabeth Cavalcante, quando não nos amamos, tememos que o outro descubra que não somos bons o suficiente para merecer seu amor e nos empenhamos desesperadamente em satisfazer os seus desejos, como forma de garantir a afeição que ele sente por nós. Isso aconteceu comigo!!
É preciso criar consciência de nossas qualidades, defeitos e entender de que somos únicos e especiais, independente do quanto erramos ou por quanto tempo vivemos sem reconhecer isso. Os erros são essenciais para nossa evolução, por isso sempre é tempo!!

 Boa sorte para todos que estão nessa!


10 comentários:

Ana Flávia Medeiros disse...

Olá Edi!
Passando pra retribuir o comentário fofo que deixou la no blog.Haa me segue que te sigo de volta (:
beijos!
http://alternativofashionista.blogspot.com/

Adriana Alencar disse...

Quanta sabedoria reunida em um só post! Gostei da afirmação que dois só vem antes de um no dicionário!
Seu blog é muito interessante, estarei sempre passando por aqui!
Um beijo,
Adri

Amanda Freire disse...

Obrigada e boa sorte também! Já passei por essas coisas também uma boa parte da minha vida, mas nada como o tempo não eh? Ele que cura as feridas e cicatriza!

NADA COMO O TEMPO (Mário Quintana)

Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com uma outra pessoa, você precisa, em primeiro lugar, não precisar dela.

Percebe também que aquele alguém que você ama (ou acha que ama) e que não quer nada com você, definitivamente não é o "alguém" da sua vida.

Você aprende a gostar de você, a cuidar de você e, principalmente, a gostar de quem também gosta de você.

O segredo é não correr atrás das borboletas... é cuidar do jardim para que elas venham até você.

No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando, mas quem estava procurando por você!
http://glamour-feminino.blogspot.com/

Tamires disse...

" Depois de algum tempo você aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias, e o que importa não é o que você tem na vida,mas quem você tem na vida."
- W. Shakespeare

Edi, gostei mto do teu blog, tô seguindo.
http://caprichofantastico.blogspot.com/

Bjs :)

Mariana disse...

Edi, adorei o texto, e super me identifiquei. Tenho mania também de me dedicar 200% quando gosto de alguém, de querer sempre agradar o outro, ainda que me deixe de lado. O problema disso é que a gente vai se apagando, vai sumindo, e a pessoa acaba, mesmo que inconscientemente, tirando proveito disso. E então nós nunca temos voz ativa para nada, sempre somos as culpadas de tudo e uma briga só acaba quando nós levantamos a bandeira branca. Isso é muito ruim. Eu tento mudar tb, mas não consigo, acabo pensando que "dessa vez vai ser diferente", e não é. Na verdade, nunca é.

Beijinhos!!

http://mmansur.blogspot.com/

Náthalie Santana disse...

Maravilhoso o post.
E o esmalte é da Ana Hickmann, só não lembro o nome =/
Beijos querida e obrigada pelo recadinho lá no blog!

Descubram.. disse...

Linda,adorei o seu blog!
Gostaria de convidá-la a visitar meu blog,quem sabe gostar e se inscrever,que está cheio de coisas e novidades legais.

www.withmake.blogspot.com

Beijos.

Aline Queirós disse...

Eu não sou o tipo de pessoa que se dedica integralmente a uma outra, mas uma coisa que eu sinto que ainda preciso trabalhar muito em mim é o péssimo hábito de esperar demais de alguém, de criar expectativas. As vezes um cara não quis continuar saindo com você porque sei lá, enjoou, perdeu a graça ou simplesmente ficou com medo. O importante é saber levar essa situação da melhor maneira possível: partir pra outra, deixar o passano no passado e continuar brilhando na vida. Depois que me dei conta disso, me tornei uma pessoa bem mais leve e confiante. Boa sorte, sempre!!! Bjão***


http://www.aguademaismataplanta.blogspot.com/

Ana Flávia Medeiros disse...

Oi querida,muito obrigado por me seguir.
Agora não to conseguindo te seguir de volta,mais tarde tento de novo (:
beijos
http://alternativofashionista.blogspot.com/

... disse...

Olá, adorei o seu blog, seus textos são ótimos, bjo